Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Paulo Marques saberfazer.fazersaber

Estes e outros textos do autor, sobre temas de fiscalidade, em: www.facebook.com/paulomarques.saberfazer.fazersaber

Paulo Marques saberfazer.fazersaber

Estes e outros textos do autor, sobre temas de fiscalidade, em: www.facebook.com/paulomarques.saberfazer.fazersaber

Novo regime para despesas posteriores a 1 de julho: RESTITUIÇÕES DE IVA A IPSS E OUTRAS ENTIDADES

– Novo regime para despesas posteriores a 1 de julho

RESTITUIÇÕES DE IVA A IPSS E OUTRAS ENTIDADES

 

O Decreto-Lei n.º 84/2017, de 21 de julho, introduziu procedimentos de simplificação no processo de restituição de IVA a IPSS e outras entidades e procedeu uma revisão dos regimes previstos nos Decretos-Lei n.º 20/90, de 13 de janeiro, e 113/90, de 5 abril.

 

Remetemos para a imagem publicada onde se apresentam as principais alterações, tendo por base a síntese feita no Ofício Circulado n.º 90025/2017 disponibilizado pela AT, e cuja leitura integral recomendamos: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/NR/rdonlyres/B8075686-99B4-4039-9B9E-FBE2DBB1F42D/0/Of_circ_90025_2017.pdf

IPSS - IVA.png

Os pedidos de restituição de IVA que integrem faturas emitidas até 30 de junho, serão apresentados à AT nos moldes existentes e anteriores à publicação daquele diploma: para as IPSS e SCML, por via eletrónica no portal das finanças e para as restantes entidades em papel na Direção de Serviços de Reembolsos, podendo coexistir, temporariamente, os dois modelos.

 

Para despesas feitas desde 1 de julho de 2017, o pedido de restituição PASSA A REPORTAR-SE A UM PERÍODO MENSAL e deve ser submetido no portal das finanças, pelas entidades beneficiárias, a partir do 2.° mês seguinte ao da emissão dos documentos, e até ao termo do prazo de um ano da data de emissão, podendo a entidade proceder à sua correção dentro desse prazo.  

 

Foram atualizados os limites para a restituição do IVA suportado nas aquisições internas, nas importações e nas aquisições intracomunitárias, cujo valor por fatura seja igual ou superior aos seguintes montantes:

 

– ÀS IPSS E À SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE LISBOA:

  • 1.000 € com exclusão do IVA para a construção, manutenção e conservação de imóveis utilizados, total ou predominantemente na prossecução dos fins estatutários [restituição de 50% do IVA];
  • 100 € com exclusão do IVA para os elementos do ativo fixo tangível sujeitos a deperecimento, utilizados para fins estatutários, com exceção de veículos e respetivas reparações, e cujo valor global durante os exercício não seja superior a € 10.000, com exclusão do IVA [restituição de 50% do IVA];
  • Sem qualquer limite para aquisição de bens e serviços de alimentação e bebidas no âmbito das atividades sociais desenvolvidas [restituição de 50% do IVA. Nota: O Ofício Circulado refere 100% de dedução para estas despesas, mas o Decreto-Lei n.º 84/2017 é claro a manter os 50%].

 

– PARA AS RESTANTES ENTIDADES BENEFICIÁRIAS:

  • 1.000 € com exclusão do IVA, nas aquisições de material de guerra e outros bens móveis destinados exclusivamente à prossecução de fins de defesa, segurança ou socorro, bem como bens móveis de equipamento diretamente destinados à prossecução dos respetivos fins, incluindo os serviços necessários à conservação, reparação e manutenção desse equipamento [restituição de 100% do IVA].

 

O Decreto-Lei. n.º 20/90, de 13 de janeiro, mantem-se em vigor no que respeita à restituição de IVA às Igrejas e Comunidades Religiosas, pelo que estas entidades devem continuar a observar os anteriores procedimentos, enquanto se mantiver a vigência do mesmo.

 

Consulte também o Decreto-Lei n.º 84/2017, de 21 de julho: https://dre.pt/application/file/a/107728083  

 

Paulo Marques, 2017-09-21

 

O Mini MBA em Fiscalidade da Escola de Negócios agora é PÓS GRADUAÇÃO em Fiscalidade!

 

O Mini MBA em Fiscalidade da Escola de Negócios agora é Pós Graduação em Fiscalidade! Com a mesma qualidade! Com o mesmo empenho!

https://youtu.be/s-hwucTaDjE